Saiu no site da Globo: Bombeiros e policiais militares protestam por reajuste salarial em PE

13/04/2016 23:45

A Associação de Praças de Pernambuco (ASPRA-PE) foi destaque no site da Globo, o G1. Confira o link: 

 

g1.globo.com/pernambuco/noticia/2016/04/bombeiros-e-policiais-militares-protestam-por-reajuste-salarial-em-pe.html

 

13/04/2016 16h11 - Atualizado em 13/04/2016 20h15

Bombeiros e policiais militares protestam por reajuste salarial em PE

Categoria afirma que está há dois anos sem aumento de salário.
Pauta de reivindicações foi entregue ao governo nesta quarta.

 

Do G1 PE

 
 
 
 
 
 
 

Os bombeiros e policiais militares realizaram um ato público em frente ao Palácio do Campos das Princesas, no bairro da Boa Vista, área central do Recife, na tarde desta quarta-feira (13). O grupo foi recebido pelo secretário executivo da Casa Civil, Marcelo Canuto. Em nota, a Secretaria da Casa Civil informou que após receber a pauta de reivindicações da categoria, foi marcada uma nova reunião com os militares para o dia 27 para que, após um estudo de viabilidade, o governo possa discutir as reivindicações.

A categoria começou a se manifestar no início da tarde em frente à Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe), na Rua da Aurora. O deputado Joel da Harpa (Pros), que é policial militar, acompanhou o grupo até o Palácio do Campo das Princesas, que fica a poucos metros do local.

Segundo o presidente da Associação de Praças, Policiais e Bombeiros Militares de Pernambuco (Aspra), José Roberto Vieira, a categoria ficou satisfeita com a reunião desta quarta com o governo. "Eles concordaram com as associações. O acordo foi aceito por unanimidade pela tropa. Vamos aguardar agora o dia 27. No acordo, o governo garantiu que terá uma resposta para nós e, no mesmo dia, convocaremos também uma assembleia para definirmos qual o caminho a seguir", ponderou.

Militares discursam na escadaria da Alepe (Foto: Paula Costa/Associação de Praças, Policiais e Bombeiros Militares de PE)Militares discursaram na escadaria da Alepe
(Foto: Paula Costa/Aspra)

De acordo a categoria, os militares estão há dois anos sem aumento salarial e trabalhando em condições inadequadas. "Nessa pauta nós pedimos uma correção no nosso salário devido à inflação dos anos de 2014 e 2015, em torno de 18,46%", disse o presidente.

Os militares se concentraram na entrada da assembleia e se uniram a outras categorias: o Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Pernambuco (Sintepe), que paralisou também nesta quarta as aulas na Rede Estadual de Ensino, e a Associação Pernambucana de Cabos e Soldados, que também aderiu ao protesto.

Para José Roberto, os profissionais estão sendo desvalorizados, o que prejudica a segurança em Pernambuco. "A questão da violência no estado, tendo em vista o Pacto pela Vida, não vem dando certo porque o governo do estado não respeita os operadores de segurança. O governo tem que dar mais equipamento e tem também a questão salarial. O policial hoje trabalha insatisfeito", complementou.

 


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Centenas de templates
  • Todo em português

Este site foi criado com Webnode. Crie um grátis para você também!