ASPRA - PE está preocupada com andamento das negociações

05/02/2015 21:05

A Associação de Praças dos Policiais e Bombeiros Militares de Pernambuco (ASPRA-PE) está preocupada com o andamento das negociações e alerta: a entidade não tem memória curta. Quando encerramos a greve no ano passado, foi criada uma comissão de negociação e houve a promessa de que o reajuste salarial deveria ser tratado a partir de janeiro.

 

Durante meses, discutimos sobre o Plano de Cargos e Carreiras, o qual depois foi encaminhado a Assembléia Legislativa, totalmente diferente do que havíamos proposto. Então, optamos pelo adiamento da votação do mesmo para a votação de um novo texto que realmente atendesse o interesse da tropa.Também houve a promessa de revisão do Código Disciplinar e mais uma vez o Governo apresenta um projeto que não atende às necessidades de modernização e humanização do Código. Mais uma vez, decidimos pela revisão do texto. 

 

Solicitamos ainda outros pontos de interesse da tropa, como: reajuste da Etapa de Alimentação, Gratificação de Motorista, Gratificação da Guarda Patrimonial, melhorias para o Hospital da PMPE. Esses pontos, como se tratavam de valores, também foram deixados para discutirmos em janeiro. Enfim, chegamos em fevereiro e a realidade é que nada do que foi apresentado pelo Governo satisfaz a tropa. Sem contar que até o momento, apenas alguns pontos foram atendidos como vagas para promoções (com números aquém dos ansiados pela tropa) e aumentos da Etapa de Alimentação e Gratificação de Motoristas (mas não cita valores). E só. Até o momento, não foi citado nenhum outro beneficio para categoria. 

 

Desde o ano passado, a ASPRA – PE vem incansavelmente lutando pelo cumprimento das promessas feitas ao Governo. Encaminhamos ofício, demos entrevistas. Infelizmente, parecem querer tapar o sol com a peneira. A insatisfação da tropa continua e está até pior que no ano passado. Afinal, estamos frustrados pois nada garantimos: nem o Plano de Cargos e Carreiras, nem a mudança do Código. Nada.    

 

Não estamos agindo de maneira irresponsável. Pelo contrário. O papel deu uma entidade representativa é falar sobre o sentimento de seus integrantes. Sendo assim, a verdade é que a ASPRA – PE não concorda com a proposta que foi encaminhada pelo Governo do Estado. Acreditamos que está abaixo do que esperávamos e a idéia principal é que o governo apresente propostas que contemplem PMs e BMs, ativos e inativos. 

 

Além disso, precisamos voltar a discutir as demais reivindicações. Não queremos paliativos. Estamos num prejuízo de anos de abandono. Arriscando diariamente nossas vidas para o cumprimento das metas do Pacto pela Vida e mesmo assim não somos reconhecidos. Nem mesmo agora que o Governo admitiu publicamente que existem erros no programa. E o principal erro do Pacto pela Vida é a falta de investimento no profissional responsável pela sua aplicabilidade. É uma soma muito simples: profissional satisfeito = maior rendimento no trabalho + metas do Governo alcançadas. Simples.


Crie um site com

  • Totalmente GRÁTIS
  • Design profissional
  • Criação super fácil

Este site foi criado com Webnode. Crie o seu de graça agora!